UPE

Professor fala sobre novo curso de Bacharelado em Saúde Coletiva

Dentre as novidades do processo de ingresso da Universidade de Pernambuco (UPE) anunciadas para a próxima seleção está o aumento do número de cursos de graduação, que passou de 44 para 52. E entre eles está o de Bacharelado em Saúde Coletiva, com 20 vagas, ofertado no campus da instituição em Santo Amaro, Recife.

O curso é o primeiro a ser implantado no Estado e o terceiro do nordeste brasileiro destinado a formar o sanitarista, que tem a missão de promover a saúde e prevenir as doenças na população. Mas o que faz um profissional que se forma como bacharel em Saúde Coletiva? O curso é desenvolvido em quantos anos? Onde atua o sanitarista? As respostas para essas e outras perguntas seguem logo abaixo, na entrevista com o coordenador do novo curso, o professor da UPE Luiz Oscar.

ENTREVISTA

Prof. Luiz Oscar – coordenador do novo curso

Bacharelado em Saúde Coletiva

A UPE está implantando um novo curso na área da saúde. Que curso é esse?
A UPE, consciente de sua responsabilidade na formação de RH para a área da saúde e com o desenvolvimento sustentável de Pernambuco, está implantando um novo curso na área da saúde. Chama-se Curso de Graduação em Saúde Coletiva, que será ministrado na Faculdade de Ciências Médicas da instituição.

Qual o título do profissional que será formado por esse novo Curso?
A UPE passará a formar mais um tipo de profissional da área da saúde. Além do médico, que ela já forma há mais de 60 anos, formará também o sanitarista.
Historicamente os sanitaristas brasileiros eram formados apenas depois da graduação, em cursos de especialização, de residências e de mestrados, o que encarecia e retardava a formação desses profissionais. Somos pioneiros na implantação desse curso em Pernambuco e um dos primeiros no Brasil. O curso será desenvolvido em quatro anos, a primeira turma fará o vestibular ainda neste ano de 2012 e começará a cursar em agosto de 2013, na segunda entrada.

O que significa ser sanitarista?
O sanitarista é um profissional que mais se aproxima da saúde como bem essencial dos seres humanos. A Organização Mundial da Saúde define saúde como “um completo estado de bem-estar físico, mental e social e não apenas ausência de doenças”. O sanitarista tem a missão de promover a saúde e prevenir a doença, portanto, se encaixa perfeitamente como o profissional ideal para contribuir com o horizonte da saúde que está dentro da definição da OMS. Agir no campo da saúde, antes da doença acontecer.

O que faz um sanitarista para cumprir o seu papel?
Todas as profissões desempenham um papel social. Cada profissional da saúde sabe da sua responsabilidade, pois lida diretamente com vidas humanas. No caso do sanitarista, promover a saúde é possibilitar que as pessoas vivam muitos anos e vivam todos esses anos plenamente. Por exemplo, a educação em saúde é uma atividade essencial dos sanitaristas. Conscientizar os jovens a não consumir cigarros ou outras drogas ou contribuir para reduzir a gravidez indesejada, a gravidez na adolescência ou então na vacinação de idosos contra a gripe.

Onde atua o sanitarista?
O sanitarista pode atuar tanto no setor público como no privado. No setor público atua em Secretarias de Saúde dos municípios, dos estados e mesmo no Ministério da Saúde. Pode atuar nas equipes de saúde do programa de saúde da família do SUS, mas também pode atuar em centros de saúde e até em hospitais. Há ainda toda a área da pesquisa em saúde e da produção de conhecimento.

Qual o papel de um sanitarista dentro de um hospital?
O sanitarista pode atuar ocupando o cargo mais alto do hospital como, por exemplo, de diretor, pois ele tem formação em administração e gestão hospitalar. Mas pode ser o responsável pela investigação, vamos dizer, dos óbitos ocorridos por uma determinada doença. Pode ser o responsável pelas informações estatísticas do hospital ou trabalhar no setor financeiro, já que teve no seu curso disciplinas como economia da saúde.

O senhor falou em SUS. Qual a contribuição do sanitarista para o SUS?
O SUS é o sistema de saúde de maior abrangência em todo o mundo. Cerca de 75% da população brasileira só dispõe do SUS. São quase 150 milhões de brasileiros. O sanitarista pode contribuir para a formulação de políticas de saúde e para o planejamento de ações. Por exemplo, pode ajudar a decidir na localização de um novo posto de saúde ou na ampliação de leitos de um hospital.

E na prevenção de doenças qual o papel do sanitarista?
O sanitarista atua no sistema de vigilância de doenças e agravos à saúde. Na vigilância Epidemiológica e na Vigilância Sanitária de Alimentos, de Medicamentos, de produtos de limpeza, enfim, toda a área de vigilância e de segurança do trabalho e também da segurança no trânsito.

No setor privado, onde atua o sanitarista?
Toda empresa tem um setor de segurança do trabalho que visa prevenir acidentes e evitar mortes. Há ainda o setor dos seguros de saúde, onde o sanitarista pode desenvolver diversas atividades, desde a regulação ao acompanhamento de ações. Sem esquecer que o sanitarista está preparado para contribuir na formação de outros profissionais, atuando nos diversos cursos de graduação e cursos técnicos da área da saúde do setor educacional público e privado.

O senhor falou em acompanhamento de ações, pode explicar melhor essa atividade?
Hoje em dia os gastos com saúde são cada vez maiores e as empresas de seguros, os hospitais e mesmo as secretarias de saúde fazem um controle rigoroso de ações e de gastos, mediante atividades de auditoria. Talvez seja essa atividade a que mais cresce no momento e o sanitarista talvez seja o profissional de saúde mais capacitado para desenvolver essa função, a auditoria em saúde.

O que o senhor tem mais a acrescentar sobre o sanitarista?
Onde houver seres humanos e a possibilidade deles perderem sua condição de saúde o sanitarista estará presente com seu conhecimento técnico, sua habilidade profissional, sua sensibilidade humana e seu compromisso com o outro, seja atuando na promoção da saúde, na prevenção das doenças, dentro de hospitais, na comunidade, em portos, aeroportos, fronteiras, enfim, contribuindo para garantir uma vida saudável, alegre e longa para as pessoas.